Ataque Viral

back arrow  De volta aos quadrinhos

Linfócitos T

T-Cell characters

Os linfócitos T são um tipo de glóbulo branco que trabalham com macrófagos. Ao contrário dos macrófagos que podem atacar qualquer célula ou vírus invasor, cada linfócito T pode combater apenas um tipo de vírus. Talvez você pense que isso significa que os macrófagos são mais poderosos que os linfócitos T, mas não são. Em vez disso, os linfócitos T são como uma unidade de forças especiais que combatem apenas um tipo de vírus que pode estar atacando seu corpo.

Mais de um tipo de Linfócito T

Existem dois tipos de linfócitos T no seu corpo: linfócitos T auxiliares e linfócitos T assassinos. Os linfócitos T assassinos fazem o trabalho de destruir as células infectadas. Os linfócitos T auxiliares coordenam o ataque.

Lymphocytes

Foto tirada com um microscópio eletrônico de varredura de um linfócito T (direita), plaquetas que ajudam o sangue a coagular (centro) e um glóbulo vermelho (esquerda). As saliências na linfócito T contêm os receptores de linfócitos T usados para combater infecções (CDC - Wikimedia).

Linfócitos T assassinos e antígenos

Os linfócitos T assassinos encontram e destroem as células infectadas que foram transformadas em fábricas de produzir vírus. Para fazer isso, elas precisam diferenciar entre as células infectadas e as saudáveis, com a ajuda de moléculas especiais chamadas antígenos. Os linfócitos T assassinos são capazes de encontrar as células infectadas pelo vírus e destruí-las.

Os antígenos funcionam como etiquetas de identificação que fornecem ao sistema imunológico informações sobre suas células e quaisquer intrusos. As células saudáveis têm 'auto-antígenos' na superfície de suas membranas. Eles informam os linfócitos T que as células saudáveis não são invasoras. Se uma célula está infectada com um vírus, ela possui pedaços de antígenos de vírus em sua superfície. Este é um sinal para o linfócito T assassino de que a célula está infectada e deve ser destruída.

A anatomia básica de uma linfócito T

A anatomia básica de uma linfócito T.

Anatomia de um linfócito T

Os linfócitos T têm muitos receptores chamados receptores de células T (TCR, T cell receptor) que ficam na superfície da célula e só podem se ligar a uma forma de antígeno. Quando um receptor de linfócitos T se encaixa com seu antígeno viral em uma célula infectada, o linfócito T assassino libera citotoxinas para matar essa célula.

A chave para encontrar células infectadas

T Cells binding to infected cells

Existem de 25 milhões a um bilhão de linfócitos T diferentes no seu corpo. Cada célula possui um único tipo de receptor de linfócitos T que pode se encaixar em apenas um tipo de antígeno, como um cadeado que pode ser aberto apenas por uma chave específica. Antígenos e receptores funcionam como uma chave e fechadura. A maioria desses antígenos nunca entra em seu corpo, mas os linfócitos T que patrulham o seu orgnismo os reconhecerão se o fizerem.

O receptor de linfócitos T se ajusta ao seu antígeno como uma chave complexa. Quando o antígeno do vírus na célula infectada se encaixa perfeitamente a um receptor de linfócitos T assassinos, o linfócito T libera perforina e citotoxinas. A perforina é capaz de fazer um poro, ou buraco, na membrana da célula infectada. As citotoxinas entram diretamente no interior da célula através desse poro, destruindo-a e todos os vírus que estavam no seu interior. É por isso que os linfócitos T assassinos também são chamadas de linfócitos T citotóxicos. Os restos celulares e vírus destruídos são limpos pelos macrófagos.

Linfócitos T auxiliares

O outro tipo de linfócito T é a linfócito T auxiliar. Essas células não produzem toxinas ou combatem os invasores diretamente. Em vez disso, eles são como coordenadores de equipe. Eles usam mensagens químicas para dar instruções às outras células do sistema imunológico. Essas instruções ajudam os linfócitos T assassinos e os linfócitos B a se multiplicarem para que possam combater a infecção e garantir que a luta permaneça sob controle.

tcell copies

Quando um linfócito T encontra o seu vírus específico no organismo, ele se multiplica para atacá-los.

Formando um exército maior contra um invasor específico

Quando um linfócito T auxiliar envia uma mensagem química, o seu linfócito T assassino correspondente é alertado de que há um vírus presente. Depois que um linfócito T assassino encontra e destrói uma célula infectada, essa mensagem do linfócito T auxiliar diz para ele se copiar, formando um exército de linfócitos T assassinos. Como apenas os linfócitos T que podem combater o vírus invasor se multiplicam, o seu corpo economiza energia e ainda é capaz de eliminar o vírus.

Inspecção de linfócitos T

Os linfócitos T são produzidos na medula óssea, como todos os glóbulos vermelhos e brancos. O nome linfócito T vem do órgão em que amadurece, o timo. O timo está logo acima do seu coração e tem aproximadamente o tamanho de um baralho de cartas. A maioria dos linfócitos T é produzida quando você é jovem, então as crianças têm um timo maior que os adultos. O timo também é onde os linfócitos T são examinados para se livrar de qualquer célula que ataque as células saudáveis do seu corpo.

Locomovendo-se pelo corpo

Todos os glóbulos brancos têm duas maneiras de se locomoverem pelo corpo. Uma maneira é através dos vasos sanguíneos. A outra maneira é através do sistema linfático.

O sistema linfático possui vasos que movem o líquido leitoso, ou linfa, e os glóbulos brancos ao redor do corpo. Ao contrário do seu coração, que bombeia sangue, o sistema linfático usa os movimentos do seu corpo para empurrar a linfa. Esta é uma das razões pelas quais é importante se exercitar.

O sistema linfático

O sistema linfático transporta globulos brancos pelo corpo. Nesse sistema, estão incluídos os linfonodos, o timo, o baço, as tonsilas e a medula óssea, onde as células imunes crescem e se multiplicam.

Trocando sistemas de transporte

A maioria dos glóbulos brancos é armazenada no sistema linfático até que eles sejam necessários para combater uma infecção. Quando um vírus ataca, eles podem ser transferidos para os vasos sanguíneos, para que possam atacá-los rapidamente. Essa transferência ocorre nos linfonodos, localizados em todo o corpo.

Muitos linfonodos estão nas pernas, nas axilas e no pescoço. A última vez que você teve dor de garganta, provavelmente sentiu regiões inchadas em um ou nos dois lados do pescoço. É aí que os linfócitos T e B se multiplicam e se preparam para atacar o vírus.

Outras partes importantes do sistema linfático, onde as células imunes crescem, se multiplicam e capturam os invasores, são a medula óssea, o timo, o baço e as tonsilas.

back arrow  De volta aos quadrinhos

Leia mais sobre : Ataque Viral

A swallowtail caterpillar
Is there anything in nature that get smaller as it thrives?

Be Part of
Ask A Biologist

By volunteering, or simply sending us feedback on the site. Scientists, teachers, writers, illustrators, and translators are all important to the program. If you are interested in helping with the website we have a Volunteers page to get the process started.

Donate icon  Contribute

 

Share to Google Classroom