Ataque Viral

mostrar/esconder glossário

Camuflagem: uso de cores e padrões para se confundir com a área em volta a fim de se esconder.

Capsídeo: um escudo protetor ao redor do genoma do vírus.

Envelope: ao sair da célula, os vírus roubam parte da membrana celular e formam o envelope em volta do capsídeo ou do genoma.

Genoma: toda a informação genética de um organismo.

Homeostasis: habilidade de manter um sistema em uma condição constante e em bom funcionamento.

Membrana celular: a camada exterior da célula que a separa do ambiente externo.

Metabolismo: o processo que os organismos vivos fazem para se manterem vivos. Isso acontece quando comemos, bebemos, respiramos, e digerimos alimentos.

Mutualismo: uma interação entre dois organismos que beneficia os dois. Às vezes, um dos dois organismos vive e se multiplica dentro de outro, chamado hospedeiro.

Patógeno: um vírus, bactéria, fungo ou parasita que infecta e prejudica um hospedeiro vivo.

Sistema imune: todas as células, tecidos, e órgãos envolvidos no combate a infecções ou doenças.

back arrow  De volta aos quadrinhos

Viruses

Virus illustrations

Você se lembra da última vez que teve uma inflamação de garganta, febre ou tosse? Provavelmente você se sentiu doente porque o seu corpo estava combatendo um vírus, um pequeno invasor que explora nossas células para fazer mais cópias de si mesmo. Vírus podem infectar todos os seres vivos conhecidos. Os animais, as plantas e até as bactérias podem ser infectados pelos vírus. Bactérias ou vírus que fazem outros organismos ficarem doentes são chamados de patógenos.

virus

 

Apesar de tentarmos nos livrar dos patógenos, muitas outras bactérias e vírus são importantes. As bactérias que vivem nos oceanos e no solo são essenciais para o ciclo de nutrientes no meio ambiente. Outras bactérias transformam o leite em iogurte ou queijo para nós comermos.

Além disso, existem vírus e bactérias que vivem dentro de você, os chamados mutualistas. Alguns vírus e bactérias do seu corpo na verdade ajudam na sua proteção contra agentes infecciosos perigosos. Alguns vírus ajudam as plantas a sobreviverem em ambientes frios e secos. As bactérias nos seus intestinos te ajudam a digerir os alimentos e transformá-los em vitaminas que você não é capaz de produzir.

Se fóssemos capazes de ver os vírus a olho nu, veríamos que eles estão ao redor de todos nós. Para nossa sorte, o nosso sistema imune pode eliminar a maioria dos vírus que podem nos fazer doentes. Em alguns casos, os médicos nos dão medicamentos que dificultam a multiplicação dos vírus e ajudam o sistema imune a combatê-los.

Infecção viral

Existem várias formas pelas quais os virus podem entrar no nosso corpo. Insetos, como mosquitos, podem transmitir os vírus para as pessoas durante a picada. Frequentemente, os vírus que causam gripe vêm de pessoas infectadas através do espirro ou tosse. Uma vez no ambiente, eles podem entrar no seu corpo quando você inala o ar ou toca em algo contaminado pelo vírus.

Quando você estiver doente, você pode proteger as pessoas ao redor cobrindo sua boca e nariz quando você tosse.

Há maneiras de manter-se saudável e prevenir que outras pessoas tornem-se doentes pelo vírus. A forma mais eficiente é lavar as mãos. O sabão ajuda a remover óleos e sujeiras das mãos que permitem a aderência dos vírus. Quando você estiver doente, você pode proteger as pessoas ao redor cobrindo sua boca e nariz quando você tosse. Mas não use suas mãos, pois você pode tocar algo depois, ajudando a espalhar o vírus. No lugar, você pode tossir na parte superior do seu ombro, cobrindo a sua boca e o nariz.

Qual é a aparência de um vírus?

As partes dos vírus

Qual o tamanho?

Imagine, mesmo se aumentássemos uma célula até que ela tenha o tamanho de uma bola de basquete, os vírus ainda seriam do tamanho de um ponto final desta página.

As partes dos vírus

Os vírus mais simples têm apenas duas partes: 1) um genoma (DNA ou RNA) que contém instruções de como fazer mais vírus e 2) um capsídeo protéico que protege o genoma. Os vírus também têm proteínas chamadas receptores que se progetam para fora do capsídeo e ajudam os vírus a entrar nas células.

Muitos vírus que infectam humanos e animais também têm um envelope, algo como a membrana da célula, que encobre o capsídeo e o genoma.

 Mas isso é só o básico. Abaixo há imagens obtidas com um microscópio eletrônico mostrando o formato de alguns vírus.

ebolamarburn

Vírus Ebola. Imagem da Biblioteca de Imagens de Saúde Pública do CDC (Centro de Controle de Doenças)

Vírus Marburg. Imagem da Biblioteca de Imagens de Saúde Pública do CDC (Centro de Controle de Doenças)

swine fluvaccinia

Vírus da gripe suína. Imagem da Biblioteca de Imagens de Saúde Pública do CDC (Centro de Controle de Doenças)

Vírus da estomatite vesicular. Imagem da Biblioteca de Imagens de Saúde Pública do CDC (Centro de Controle de Doenças).

Como um vírus funciona?

Talvez você nem imagine que um simples vírus seja capaz de controlar vários processos complexos dentro das células, mas é isso que eles fazem o tempo todo. É muito importante que os vírus façam isso, pois eles não são capazes de fazer cópias de si mesmos sozinhos. Em vez disso, eles manipulam suas células para que elas trabalhem para produzir mais cópias dos vírus.

Como infectar células 101

Um guia dos vírus para infectar células

O primeiro passo é entrar dentro da célula. Os vírus fazem isso se passando por algo que a célula precisa. Na superfície celular, há sensores chamados receptores capazes de se ligar a nutrientes. Quando um receptor e um nutriente se ligam, a célula carrega ambos para dentro.

Os vírus usam camuflagem para enganar as células. O seu capsídeo e os receptores se parecem com os nutrientes que as células precisam. Quando o receptor do vírus se liga ao receptor da célula, esta pensa que o vírus não é nada mais que um nutriente, e o coloca para dentro. Assim, a célula se torna infectada!

Fazendo mais vírus

O segundo passo é criar mais vírus. Uma vez dentro da célula, o vírus adiciona seu genoma ao da célula. Mas ela não sabe que o novo genoma é do vírus e, portanto, segue as instruções para criar partes do vírus. Agora, sem querer, a célula se tornou uma fábrica de vírus. Essas partes se juntam para formar os vírus completos, que podem escapar das células. Agora, cada novo vírus pode infectar outra célula, repetindo o ciclo de infecção.

cada novo vírus pode infectar outra célula, repetindo o ciclo de infecção

As proteínas do vírus se ligam aos receptores fora das células (1). Uma vez dentro, os vírus liberam o seu DNA ou RNA dentro das células (2) contendo instruções de como fazer mais cópias do vírus (3). Os novos vírus são liberados (4) através de um processo chamado brotamento (como na figura 4) ou através da destruição das células.

Os vírus são seres vivos?

Os vírus aparentam ser muito espertos para enganar as células durante as infecções, mas será que eles são seres vivos? É difícil elaborar uma definição para “vida”, mas os cientistas concordam sobre várias características que todos os seres vivos devem ter. Vamos ver se os vírus têm os requisitos.

Requisito número 1: seres vivos devem se reproduzir. Apesar dos vírus terem um genoma, eles precisam se apropriar da maquinaria das célulaspara que o seu genoma seja lido. Assim, concluimos que os vírus não podem se reproduzir sozinhos.

Requisito número 2: seres vivos devem ter um metabolismo. Metabolismo significa a capacidade de coletar e usar energia. As reações químicas em suas células constantemente transformam moléculas em formas de energia que podemos usar. A energia que você usa para correr e pular veio da quebra de grandes moléculas de alimentos em partes menores que podem ser usadas ou armazenadas na célula. Os vírus são pequenos e simples demais para coletar ou usar sua própria energia - eles apenas a roubam das células que infectam. Os vírus só precisam de energia quando fazem cópias de si mesmos e não precisam de energia quando estão fora de uma célula.

O que você acha? Os vírus são seres vivos?

Requisto número 3: seres vivos mantêm homeostase: ou seja, eles devem manter as condições dentro do corpo estáveis. O seu corpo transpira para te esfriar e tem calafrios para te aquecer caso a temperatura mude de 37 ° C. Milhões de ajustes ao longo do dia mantêm sua temperatura e as moléculas em seu corpo equilibrados. No entanto, os vírus não têm como controlar seu ambiente interno e não mantêm sua própria homeostase.  

Portanto, como os vírus não podem se reproduzir sozinhos e não têm metabolismo ou homeostase, geralmente não são vistos como realmente vivos. Porém, eles têm uma influência enorme nos seres vivos durante as infecções!

O que você acha? Os vírus devem ser considerados seres vivos? Depois de decidir o porquê você acha que eles devem ou não ser considerados vivos, ouça o bioquímico Nick Lane e o Dr. Biology discutindo o que eles pensam sobre o assunto (somente em inglês).

- or play without flash.

back arrow  De volta aos quadrinhos

Leia mais sobre : Ataque Viral

Against light skin, some of our veins look blue
Is blood blue?

Be Part of
Ask A Biologist

By volunteering, or simply sending us feedback on the site. Scientists, teachers, writers, illustrators, and translators are all important to the program. If you are interested in helping with the website we have a Volunteers page to get the process started.

Donate icon  Contribute

 

Share to Google Classroom